Skin

Skin: Sobre

Ser radical toda a tua vida pode fazer com que te queimes, assim que Skin a ex vocalista de Skunk Anansie, leva as coisas com calma na sua carreira a solo. O seu ar tornou-se mais cosmopolita e a sua música perdeu o componente metálico, para oferecer uma imagem mais adulta.A cantora, cujo nome verdadeiro é Deborah Anne Dyer, cresce em Brixton, bairro conflituoso de Londres. O seu pai dirige um clube na zona e a rapariga logo entra em contacto com a música. A sua adolescência não é um mar de rosas e tem todos os tipos de problemas, incluindo violência e as relações afectuosas de alto poder destrutivo. Contudo, a universidade é como um oásis pessoal para Skin, que começa a dar os seus passos como cantora em diversas formações de estilo metálico.Das cinzas de uma daquelas bandas surge Skunk Anansie, grupo de funk/metal que lidera de 1995 a 2001 com um sucesso notável e três álbuns. A empresa One little Indian disse dela na folha promocional: "É a imagem mais visualmente importante desde Ziggy Stardust". A verdade, a sua cabeça rapada, o seu look paramilitar e a suas ordens não davam para tanto.Quando rompeu com a banda, Skin decide afastar-se do ruído mundano e tirar umas férias. Com uma imagem reformada(deixou crescer o cabelo), colorista e menos agressiva, regressa em 2003 com o disco Fleshwounds(EMI, 2003), cujo single de apresentação denota também uma maior suavidade no seu discurso. Em 2006 publica-se o seu segundo disco a solo, Fake Chemical State(V2, 2006).