Dr. Dre

Dr. Dre: últimos vídeos musicais

Forgot About Dre

Videoclip

Bad Intentions

Videoclip

Been There Done That

Videoclip

The Next Episode

Videoclip

Third World

Videoclip

Nuthin (1993 MTV Movie Awards)

Videoclip

Bad Intentions

Videoclip

Next Episode

Videoclip

Dr. Dre: Sobre

Nome real, Andre Young; 18 de Fevereiro de 1965, South Central, Los Angeles. Considerado por muitos, pelo menos pela revista Rolling Stones, o máximo expoente do gansgta rap na costa oeste, Dre começou a sua carreira musical como DJ no club dance Eve After Dark de Los Angeles. Esse local oferecia um repertório baseado na remistura de discos novos com clássicos do soul como Martha And the Vandellas.O clube tinha uma habitação traseira com um pequeno estúdio de quatro pistas onde Dr.Dre, juntamente com o futuro membro dos NWA, Yella e Lonzo Williams gravavam as suas demos. A primeira foi Surgery, um tema electrónico básico com um refrão que citava. Calling Dr.Dre to Surgery. Estas sessões, assim como serões em Eve After Dark, serviram para aprender as técnicas com címbalos que mais tarde se aplicaria em NWA(Niggers with Attitude). Antes, com 17 anos, já tinha formado o grupo World Class Wreckin`Cru. Enquanto outros ex membros como Ice Cube tinha assentado as bases para o rap penetrar num âmbito musical mais geral, o sucesso do primeiro trabalho a solo de Dre em 1992, The Chronic, confirmou o seu estrondo comercial. Este EP marcou também uma mudança de rumo para os rappers gangsta actuais. A música recebia agora uma herança inequívoca do funk de George Clinton e Funkadelic. O próprio Dre admitia abertamente a influência que tinha tido na sua vida Clinton. "Nos anos setenta, a única coisa que as pessoas faziam era cortar o cabelo à afro, levar calças à boca-de-sino e ouvir Parliament-Funkadelic. Por isso, pus o título de The Chronic ao meu álbum e por isso a música e os concertos têm a base que têm, porque tudo isso influenciou em muito a minha música. Muitíssimo". Com esta finalidade criou um grupo de estúdio para sessões, que contava com músicos de R&B do talento de Tony Green(baixo) e Ricky Rouse(guitarra). Enquanto as letras de Dre mantinham a mesma energia caracterizadas com NWA, produziu-se uma mudança relativamente à temática. The Chronic fazia referência directa ao uso recreativo da marijuana e retirava o nome de uma variedade especialmente fatal e popular dessa droga. Juntamente com a colaboração de Cypress Hill, o cannabis tornou-se na droga da moda entre os rappers gansgta, que discutiam muito sobre o crack mas que raramente o aprovavam. The Chronic permaneceu oito meses no top 10 da Billboard. Quase tão importante como a sua faceta do autor, era a sua crescente reputação de Dre como produtor. Além de produzir um álbum para uma das suas muitas namoradas Michel`le, os seus trabalhos com Eazy-E, D.O.C., Above the Law e sobretudo Snoop Doggy Dogg, abriram novos horizontes. Dogg já tinha cantado rap com Dre nos singles de sucesso Deep Cover e Nuthin`But A "G" Thang. Contudo, a obra Doggystlyle bateu todos os recordes de vendas e catapultou o gangsta rap ao mais alto das listas de álbuns. Muitos afirmavam a teoria que, por detrás desse sucesso, estava a figura de Dr.Dre. O mesmo produtor declarara: "Podia contratar uma criança de três anos que fazia um disco de sucesso com ele". Nessa época, Dre deixava parada a sua carreira para concentrar as suas energias em NWA, especialmente em Straight Outta Compton, disco que marcaria uma época. "Actualmente, não suporto este álbum. Editei-o em seis semanas para podermos ter algo no mercado". Durante o seu compromisso com a tripulação de NWA, tornou-se no produtor da discográfica de Easzy-E, Ruthless Records. Sete dos oito álbuns produzidos pela discográfica entre 1983 e 1991 foram disco de platina, contudo separou-se Ruthless por, segundo eles, pagamento. Aos poucos, Dre começou a zombar Easzy-E nas letras das suas canções, como no single Dre Day, diatribe à qual Easzy retribuiu com o seu Muthaphukkin`Gs.Como muitas estrelas de rap, Dre nunca se afastou da controvérsia, nem depois de se instalar na comodidade da sua residência luxuosa de San Fernando Valley.Como se quisesse reintegrar-se à vida de "gangsta verdadeiro", Dre manteve sempre uma guerra incessável com as autoridades. A apresentadora de televisão Dee Barnes estabeleceu um litígio multimilionário contra ele por presumidamente empurrá-la contra uma parede num clube nocturno de Hollywood em 1991. Também foi declarado culpado de ter partido a mandíbula a um produtor discográfico(foi condenado a prisão domiciliária e a levar uma pulseira electrónica) e foi detido pela polícia montada após uma briga num vestíbulo de um hotel em Nova Orleães. Eazy-E é que pediu, enquanto Dre queixava-se muito das restrições de comércio e dinheiro que lhes deviam, rogava pragas a Jerry Heller, presidente de Ruthless, e finalmente assinava um contrato com a Insterscope Records de Jimmy Iovine. Este deixou-o montar a sua própria discográfica, Death Row Records, confundido com o polémico Marion "Suge" Knight, ex publicista de Vanilla Ice. O êxito The Chronic e Doggystyle, adicionado com a contratação da estrela mais emergente do rap, 2Pac, fez de Death Row uma das discográficas mais potentes dos EUA em muito pouco tempo. Contudo, em 1996, os seus famosos problemas culminaram com a marcha renhida de Dre para formar a sua própria discográfica, Aftermath Records. O primeiro lançamento desta discográfica foi uma compilação de vários artistas, cujo tema culminante era o single declamatório de Dre, Been There Done That, uma batida de despedida ao gangsta rap e ao Death Row. Em 1998, Dre voltou novamente à actualidade como co-produtor do The Slim Shady, o polémico e estrondoso álbum do seu protegido Eminem. O mês de Novembro seguinte, editou a vastamente esperada segunda parte da sua colecção, Dr.Dre 2001.O álbum que contou com a colaboração de pessoas como Eminem, Snoop Dogg, Mary J.Blidge ou Xzibit serviu para recordar de maneira muito eficaz a preeminência de Dre no mundo do gangsta rap.