Elvis Presley

Elvis Presley: últimos vídeos musicais

Live 1969 Unboxing

Videoclip

1969

Videoclip

The Wonderful World of Christmas

Videoclip

I Believe

Videoclip

Heartbreak Hotel

Videoclip

Never Been to Spain

Videoclip

That's All Right

Videoclip

Hound Dog

Videoclip

Elvis Presley: Sobre

Elvis Presley nasceu em Tupelo, Mississipi, em 1935 e em plena depressão dos Estados do Sul dos Estados Unidos. O seu nascimento foi um pouco bizarro. A sua mãe não sabia que estava grávida com dois fetos durante os nove meses da gravidez. O primeiro dos bebés nasceu morto e o segundo foi Elvis que nasceu são e salvo.Os graves problemas económicos da família(o seu pai estava sempre desempregado) obrigaram-na a emigrar para Memphis, Tennessee, cidade na qual Elvis cresceu e desenvolveu-se, à medida que se foi introduzindo no conhecimento dos géneros musicais que originariam o rock n´roll e em especial, a sua forma de cantar e interpretar: O country estava presente em cada esquina de Memphis; o gospel que conheceu e se familiarizou ao cantar no coro da igreja e os blues que era a música que escutava nos clubes nocturnos durante a sua fase estudantil.Elvis teve uma vida e carreira um tanto esquizofrénica. Por um lado, representou o seu papel de rebelde na perfeição, interpretando canções da tradição negra marginal, bamboleando e sacudindo as ancas como ninguém alguma vez fez. Por outro, falava dele mesmo às pessoas mais velhas que ele e era tímido e educado. Respeitava os seus pais. Todo o mundo assinala que a sua maneira de interpretar e a sua voz profunda e contundente é o que destacava nele. Contudo, ele estava convencido que a sua eram baladas que faziam chorar como Old Shep. Só foi quando Sam Phillips(Sun Redords) o descobriu quando Elvis começa a arrasar como intérprete e "animal do palco". Presley passou pelos estúdios Sun após acabar os seus estudos com a intenção de gravar um single por poucos centavos(era prática habitual naquela altura) para oferecer como presente de anos à sua mãe. A secretária de Sam ficou impressionada e contou-lhe isso. Phillips contactou-o para gravar ainda mais canções, juntamente com o guitarrista Scotty Moore e o baixista Bill Black mas não funcionou até que Elvis, um belo dia, arrasou ao cantar o clássico blues de Arthur Crudup, That`s All Right, Mama, a ritmo country. Tinham descoberto a fórmula.Em 1954, aparece o seu primeiro single para Sun Records, That`s All Right, Mama no lado A e o clássico de country Blue Moon of Kentucky no lado B. Mas o single teve muitos problemas para ser emitido nas rádios negras. Contudo, as actuações ao vivo e o esforço de Sam Phillips tornou possível para a lenda do Rei começar a consolidar-se , alcançando um sucesso estrondoso nas semanas seguintes à edição. Mas a ligação Sun Records/Elvis Presley apenas durou quatro singles até 1955, ano em que se edita Mystery Train. O mito começara a crescer e a estrela precisava de mais promoçãoe orientação. Desta forma, o coronel Parker(manager da estrela de country Faron Young) tomou as rédeas do negócio e a sua primeira decisão foi encontrar uma nova discográfica, mais poderoso e solvente, para o seu protegido. Em 1955, Elvis Presley começou a engrossar o catálogo da RCA Victor. A ajuda promocional(as suas actuações no Ed Sullivan Show) e a distribuição nacional que a RCA oferecia acabou por enaltecer Elvis e torná-lo na nova sensação. O negócio entre a Sun e RCA ficou nos 35,000 dólares naquela época.Durante os seus primeiros tempos na RCA, Elvis continuou a gravar canções de R&B como Heartbreak Hotel, Blue Suede Shoes e Hound Dog, todas elas editadas em 1956, mas em 1957 abrandou esta tendência e voltou a gravar country e soul, deixando o rock n´roll de lado e limitando as suas aparições nos filmes. Loving You e Jailhouse Rock foi o que gravou para 1957. Também foi quando estava quase a assinar pela RCA que Elvis contacta com os seus admirados The Jordanaires(grupo vocal de country) e recruta-os como vozes de apoio. Esta união não se desfez até 1970.E quando estava mesmo na crista da onda, o inesperado aconteceu. Em 1958, surpreendendo tudo e todos, Elvis, por recomendação do coronel, alistou-se no exército americano. Embora no princípio esta manobra parecia uma loucura, o tempo demonstrava o contrário. Parece que Parker não acreditava no rock n´roll e queria aproximar o seu protegido a outros públicos mais maduros, mas a imagem rebelde e inconformista de Elvis não facilitava. Evidentemente, enviar o seu protegido para o exército era uma boa forma de dissipar a sua imagem rebelde, e desta forma, torná-lo acessível a populações que não compravam discos seus e que além disso, revoltavam-se violentamente contra ele e contra o rock n´roll em geral.A outra grande técnica(depende do ponto de vista de qualquer um) do coronel foi explorar a carreira cinematográfica de Elvis(a maior parte das vezes, sem sentido). Esta começara em 1956 com Love Me Tender, realizado por Robert D.Webb e embora nunca ter sido um grande actor, chegou a filmar mais de trinta filmes, os quais se destacam, além do já mencionado, O Prisioneiro do Rock n´Roll(Jailhouse Rock, Richard Thorpe, 1957) e Viva Las Vegas(George Sydney, 1964).A manobra de Parker foi crucial e Elvis reapareceu(após dois anos de serviço militar na Alemanha) como um cantor apto para todos os públicos, desprovido da enorme carga sexual no palco e que lhe deu a alcunha The Pelvis. O rock n´roll e os seus grandes artífices já eram história. Elvis reapareceu a cantar com Frank Sinatra, um dos detractores do género.Em 1961, deixa de actuar ao vivo para se dedicar de corpo e alma ao cinema. A produção discográfica limita-se às bandas sonoras dos filmes(outra técnica do enigmático Parker) mas o resultado foi muito irregular. Só em 1968 prossegue a sua carreira com a força e astúcia dos seus começos. Em 1969, edita a melhor canção da sua segunda etapa, Suspicious Minds. Regressam as actuações e a sua lenda parece ressurgir das cinzas, mas pouco a pouco(confinado aos palcos de Vegas e Hawai e consumido pelos seus excessos) a figura vai desaparecendo do homem que fez tremer os pilares da música popular americana. Em 1972, divorcia-se da sua esposa Priscilla(que tem um caso com o seu instrutor de karaté) e o processo decadente acelera. Ainda nos seus momentos piores e confusos, Parker foi capaz de manter limpa a imagem do Rei, ocultando os seus problemas de drogas mesmo até após a sua morte, que aconteceu a 16 de Agosto de 1977, em plena efervescência do punk.Como epitáfio, podemos dizer que nada(nem excessos nem decadência) conseguiu distorcer o legado do melhor cantor de blues da história. Que descanse em paz.