PJ Harvey

PJ Harvey: últimos vídeos musicais

Dress

Videoclip

C'mon Billy

Videoclip

Down By The Water

Videoclip

This Is Love

Videoclip

Evol

Videoclip

50 Ft Queenie

Videoclip

Good Fortune

Videoclip

Send His Love To Me

Videoclip

PJ Harvey: Sobre

Nascida a 9 de Outubro de 1969 em Yeovil, Somerset, Inglaterra. Polly Jean Harvey é filha de pais hippies. Desde pequena rodeou-se de figuras do rock como Captain Beefheart ou de cantores/autores como Bob Dylan.

Após crescer numa quinta em Dorset e tocar o saxofone com um octeto instrumental, Polly escreveu as suas primeiras canções quando fazia parte dos Polekats, um trio folk que fazia o percurso dos pubs artísticos locais nos quais apenas tinha-se idade para beber álcool. Depois, assistiu num curso numa fundação artística, antes de se unir ao grupo de Somerset Automatic Dalmini durante dois anos e meio(muitos dos quais seriam os seus futuros colaboradores).Durante este período tocou o saxofone e a guitarra, e cantou e fizeram duas digressões pela Europa. Apareceram também no coro do single do grupo local Grape intitulado Baby In A Plastic Bag, e no grupo de Bristol Family Cat, Colour Me Grey.

Chateada por tocar material de outros, mudou-se para Londres, em teoria para assistir a um curso de escultura(a sua outra paixão), embora fosse na realidade para trabalhar com o baixista Ian Olliver e o baterista e corista Rob Ellis(nascido a 13 de Fevereiro de 1962 em Bristol, Avon, Inglaterra), ambos membros de Automatic Dalmini nas digressões. Tocaram juntos ao vivo pela primeira vez em Abril de 1991, com o nome de PJ Harvey.

Com a discográfica independente Too Pure Records, lar dos Faith Healers e Stereolab, ficaram tão convencidos pelos seus concertos nebulosos que hipotecaram a sua sede para financiar o seu single de estreia, Dress. Olliver deixou a banda, e foi substituído por Stephen Vaughan(nascido a 22 de Junho de 1962 em Wolverhampton, West Midlands, Inglaterra), no baixo sem trasto de cinco cordas, após a publicação do disco. Com isso, e junto com a impressionante canção Sheela-Na-Gig e a sua estreia em 1992 com o álbum Dry, foi suficiente para atrair a atenção da Island Records, mas também da imprensa em geral. Subvertendo a tradição de cantoras/autoras femininas incluía começos de guitarra agressivos e violentos. Harvey tinha um tipo de voz que, se bem que não obedecia aos padrões tradicionais, podia comover profundamente. A isto temos de adicionar as letras nas quais revelava as suas próprias relações e sentimentos, e a sua atitude revisionista a favor do feminismo, que demonstrou ao aparecer na capa do New Musical Express em topless, mostrando as costas ao fotógrafo. Como compositora evocativa e perturbadora, a maioria acredita que deixa um sabor muito amargo para um gosto massivo, um tópico que se dissipou parcialmente nas suas actuações como número de abertura dos U2, mas mais dificilmente a escolha como produtor de Rid Of Me o especialista em controvérsias acerca temas negros e violações, Steve Albini. O seu tema central, um refogado vicioso de blues rural, na qual a voz e a guitarra de Harvey soam quase animalescas pela produção, incluía uma das declarações mais temíveis da história da música rock: "Não se livraram de mim". Uma estatuária obsessiva, repleta de gritos, acompanhada de actuações musicas comprometidas e deslumbrantes (especialmente a percussão inconfundível de Ellis), fazem com que este álbum tenha tanta intensidade como o seguinte, por necessidade, tinha de se acalmar.

PJ Harvey fez uma aparição memorável nos prémios BRIT de 1994, cantando em dueto com Bjork uma versão memorável do Satisfaction dos Rolling Stones. No To Bring You My Love, Harvey abandonou algumas das suas psicoses, substituindo-as por um ambiente evocativamente sinistro.

Com o produtor dos U2, Flood, trabalhando em colaboração com o seu homónimo Mick Harvey (Bad Seeds), Harvey deixou para trás alguns dos temas menos agradáveis de outrora(disfunções corporais, vingança). O novo ênfase fica evidente no vídeo promocional do single Down By the Water, no qual se evoca a loucura de Ofélia e o seu sacrifício.

Actualmente, o seu grupo é composto pelo guitarrista John Parrish(ex colega de Automatic Dalmini), Jean-Marc Butty(nascido em França; bateria), Nick Bagnall(teclados, baixo), Joe Gore(nascido em São Francisco, Califórnia, EUA; guitarra, ex membro do grupo de Tom Waits) e Eric Feldman, de Pere Ubu (nascido em São Francisco, Califórnia; teclados).

Harvey colaborou também em álbuns prestigiosos de Nick Cave e Tricky, e em 1996 fê-lo com Parish, no Dance Hall de Louse Point. Os pontos de referência musicais desse álbum constituíram a base de trabalhos de 1998, Is This Desire?, uma bela e refulgente obra que resultou ser o mais atractivo de Harvey até ao momento. Nesse mesmo ano, estreou-se como actriz no filme de Hal Hartley, The Book of Life. No seu sexto álbum, muito adequadamente intitulado Stories From The City, Stories From the Sea justapunham-se temas de trash alternativo(Big Exit, Kamikaze) com baladas sombrias e sensuais(This Meww We`re In, We Float).

No início de 2011 PJ Harvey regressa às edições com o álbum “Let England Shake”, o oitavo álbum de estúdio da cantora de ‘This is Love’. O registo foi gravado numa igreja do século XIX, com a participação do colaborador de longa data Flood (Depeche Mode, Jesus and the Mary Chain), que co-produziu o álbum em parceria com a própria PJ e com John Parish e Mick Harvey. A tournée de promoção deste novo registo começou em finais de Fevereiro e marcou o regresso aos palcos de PJ Harvey, com os primeiros concertos marcados a esgotarem em pouco tempo. A acompanhar PJ nos concertos ao vivo estão Mick Harvey, John Parish e Jean-Marc Butty.

Igualmente no início de 2011 a cantora britânica foi homenageada pelo seu percurso e contribuição para a música, durante a gala de entrega dos prémios do semanário britânico NME.