The Cure

The Cure: últimos vídeos musicais

Just Like Heaven

Videoclip

Never Enough

Videoclip

Friday I'm In Love

Videoclip

Cut Here

Videoclip

The Walk

Videoclip

Gone!

Videoclip

Gone!

Videoclip

Fascination Street

Videoclip

The Cure: Sobre

Formada em 1976 sob o nome de Easy Cure, esta banda britânica foi inicialmente formada por Robert Smith(nascido a 21 de Abril de 1959 em Crawley, Sussex(Inglaterra), guitarra, voz), Michael Dempsey(baixo) e Laurence "Lol" Tolhurst(nascido a 3 de Fevereiro de 1959, bateria). Trabalhando para fazer um estrondo nos primeiros anos do punk, o grupo em meados de 1978 edita o single inspirado no Killing An Arab de Albert Camus com a marca independente Small Wonder Records. Foi o suficiente para chamar a atenção do produtor e director de Fiction Records, Chris Parry que reeditou o single no ano seguinte. Em Maio de 1979, o grupo era o centro de críticas elogiosas, em particular com a revolução causada por Boys Don`t Cry, um estilo que relembrava os ritmos britânicos dos meados dos anos 60, com o atractivo adicional da voz inexpressiva de Smith. O esperado álbum, Three Imaginary Boys, teve também uma boa recepção e foi apoiado posteriormente num anúncio publicitário com Siouxsie and the Banshees, no qual Smith acompanhava as estrelas no palco. Outro single forte, Jumping Someone Else`s Train, foi bem recebido nas listas independentes como seria de esperar, embora tal como as suas edições anteriores esteve quase a não entrar nas listas nacionais.Outro single, I`m a Cult Hero, com o pseudónimo Cult Heroes, passou despercebido e pouco depois, Simon Gallup substituiu Dempsey no baixo. Durante a reorganização, Mathieu Hartley juntou-se ao grupo encarregue do teclado. Na primavera de 1980, Cure abandonava o seu estilo pop para ser uma banda de rock saturada de guitarras. O single atmosférico A Forest deu-lhes o primeiro sucesso no top 40 britânico e um segundo álbum ainda melhor, 17 seconds, ficou no Top 20. A partir daí, o subsequente culto aos Cure garantiu que os seus trabalhos ocupassem de maneira regular as posições mais baixas da lista. Após consolidar a sua posição em 1981, com Primary, Charlotte Sometimes e Faith, no ano seguinte, o grupo decidiu ir para outra direcção. A entrada decisiva de Pornography ameaçou colocá-los entre as principais figuras dos acontecimentos britânicos mas tinham de resolver os seus problemas internos. Hartley no teclado durou apenas uns meses e nos inícios de 1982, despediram "o rapaz novo", Gallup e substituíram-no Phil Thornalley e Steve Goulding. Enquanto isso, Smith juntou-se por pouco tempo a Siouxsie and the Banshees para substituir temporariamente John McGeogh. Além de contribuir com a sua guitarra com ar psicadélico ao êxito Dear Prudence, Smith depois juntou-se com Steve Severin e Jeanette Laundry dos Banshees em Glove. Por sua parte, os The Cure continuou a gravar e durante o Verão obteve o seu primeiro single no top 20 britânico pela mão da melodia electrónica The Walk. Quatro meses mais tarde estavam entre os dez primeiros contrastando radicalmente com o single pop The Love Cats(Smith depois tentou afastar-se desta canção que ao princípio tinha sido inventada como uma paródia). Outro êxito foi The Caterpillar, outro single invulgar, que se destacava pelas notas excêntricas do violino interpretadas por Smith. Esse êxito confirmou que os Cure era uma das formações musicais mais ecléticas e excêntricas do pop britânico, assim como uma das poucas a conseguir reformular inovações suportáveis para o público. A maquilhagem escura, com a qual Smith pintava os olhos, o batom de cor carmim e os cabelos encrespados eram igualmente chocantes, ao mesmo tempo que os vídeos criados pelo grupo e realizados por Tim Pope eram cada vez mais maravilhosos. Em 1985, a banda editou o seu álbum mais comercial, The Head on the Floor. Ao fim de um ano, voltaram a gravar o seu segundo single, Boys Don`t Cry que desta vez se tornou num sucesso menor no Reino Unido.Nesses momentos, o grupo estava formado de verdade por Smith e Tollhurst acompanhados por Gallup e outros músicos que tinham uma passagem fugaz ano após ano. Com a compilação retrospectiva de singles, Standing on a Beach, os Cure realçou a sua longevidade num ano, que por outra parte, tinha sido tranquilo. Na maior parte de 1987, realizaram uma digressão pela América do Sul e obtiveram alguns sucessos menores no Reino Unido com Why Can`t I Be You?, Catch e Just Like Heaven. Este último situou-se também entre os 40 primeiros dos EUA, igualmente com o seu álbum duplo, Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me. Logo dois anos passaram até à edição de Disintegration. Uma aventura endiabradamente deprimente, com alguma das letras mais moribundas de Smith que, apesar disso chegou ao número 3 no Reino Unido. Durante essa mesma época, a banda continuou a gravar com regularidade outras composições, como os singles Lullaby, Lovesong, Pictures of You e a feroz Never Enough. Ao longo da sua trajectória, prosseguiram com as suas habituais mudanças na formação, que culminou com a saída de Tollhurst(que formou Presence) e com Smith como único membro original. Embora dava por certo que os The Cure tentava consolidar vendas promissoras nos EUA, Smith anunciou que o grupo não faria mais digressões no país.Mixed Up, um álbum duplo de compilações com gravações e remisturas dos seus singles foi editado no final de 1990. Em 1992, The Cure era formado por Smith, por Gallup, novamente, Perry Bamonte(teclado, guitarra), Porl Thompson(guitarra) e Boris Williams(bateria) e graças aos elogios dos críticos TheWish, os Cure consolidou-se como uma das bandas de sucesso mais constante do mundo. Thompson abandonaria a banda em Junho de 1993, coincidindo pela demanda interposta pelo ex membro do grupo, Tollhurst a Smith, a banda e à discográfica pelo presumível incumprimento do pagamento de direitos de autor. As transcrições do tribunal foram publicadas e corroboraram a reputação de bêbados dos Cure(Tollhurst foi sumariamente derrotado e acabou por estar legalmente endividado até ao pescoço). Após um sucesso de angariação de fundos no festival de Glastonbury em 1995, a banda começou a trabalhar no que seria o álbum, Wild Mood Swings, editado em Maio de 1996. Os membros do grupo nesse álbum eram Smith, Bamonte, Gallup, Jason Cooper(bateria) e Roger O´Donnel(teclado). A letra reveladora mostrava as suas inseguranças pessoais. Galore foi uma continuação valiosa das suas anteriores compilações.