The Hives

The Hives: Sobre

Em 1993, cinco adolescentes da pequena localidade industrial de Fagersta (Suécia) recebem cada um uma carta com uma data e um lugar. Um ano depois, com a liderança de um génio chamado Randy Fitzsimmons, começam a aparecer em vários lugares públicos de Fagersta e arredores. Provocam reacções de confusão, entusiasmo e desprezo. Em 1995 já eram conhecidos em toda a região centro da Suécia. Estes rapazes de cabelo curto tocam uns concertos muito rápidos e curtos que, por vezes acabam bruscamente a meio de discussões e outras vezes são pura magia de se ver. O executivo discográfico Peter Ahlqvist apercebe-se disso. Intrigam-no mas não está seguro, não sabe como catalogá-los. Mas decide que os podia editar num selo menor para evitar qualquer danos à sua própria discográfica, Burning Heart, se estes rapazes entrarem no estúdio num dos seus dias maus.

Dito e feito, em 1996 aparece um mini CD muito adequadamente intitulado Oh Lord!How? When? Edita-se e o talento estrondoso respira-se no ar.Pessoas de todo o mundo estão impressionadas e surpreendidas pelo novo e emocionante som. Enquanto isso, os Hives e o senhor Fitzsimmons já procuravam um novo som e descobrem-no. Começam a planear um álbum de estreia. Impressionados pelos Hives e tudo o que os rodeia, Peter Ahlqvist decide subi-los de escalão até Burning Heart.

Barely Legal é gravado em 1997 e sai um disco ardente de energia intocável e louvor adolescente. A partir do disco, os Hives realizam uma digressão por todo o continente europeu e também passam pelos Estados Unidos. Os testemunhos dizem que é incrível. Em 1998 edita-se o EP A.K.A. Idiot com quatro canções novas geniais. Bem nesse ano, algo se passa e os Hives perdem o contacto com Fitzsimmons e durante uma temporada não acontece nada. Alarga-se uma sensação de desespero e durante algum tempo, a banda parece ter perdido parte da magia que tinham. As coisas não vão bem.

Em finais de 1999 o contacto é restabelecido e os Hives começam a receber cartas com fragmentos de canções a partir de partes distintas do mundo. Começam a juntá-las rapidamente para ter canções completas e começa-se a planear o novo álbum....

E aqui está, Veni Vidi Vicious! O segundo trabalho editado através de BHR está quase a chegar às lojas e a Ti. Os Hives já deixaram para trás a sua adolescência e também a sensatez porque este disco já está coberto de elogios por parte de todos que o ouvem.

O som dos Hives é como uma luva de veludo com um punho americano por dentro, brutal e sofisticado ao mesmo tempo. A música está composta de juventude, energia, bom gosto e todos os truques emprestados do rock dos anos 50, do rock duro dos anos 60, do punk dos anos 70, do new wave e do restante. O anterior agita-se bem e fica um som que é aproximadamente um 100 por cento dos Hives.

Em 2002 foram nomeado para “Best Nordic Act” dos MTV EMAs, prémio que venceram em 2004, ano em que lançam "Tyrannosaurus Hives", o terceiro álbum.

Em 2007 lançam “The Black and White Album”.

Em junho de 2012 o quinteto regressa às edições, com “Lex Hives”, que inclui o single ‘Go Right Ahead’.

Biografia cortesia de Epitaph Records