Prémios Megafone: os vencedores

Comentários

Os Galandum Galundaina foram os grandes vencedores da primeira edição dos Prémios Megafone/João Aguardela, que foram entregues este Domingo, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. O quarteto transmontano que usa o cancioneiro e o dialecto mirandês para fabricar música, com recurso a sanfonas, gaitas-de-foles, bombos ou adufes recebeu um troféu simbólico em forma de LP em vinil limitado, com temas do grupo Megafone, de João Aguardela e, no futuro, vai receber ajudas à divulgação e à distribuição dos seus álbuns, nomeadamente em telemóveis, e à produção de um vídeo.

Estes troféus foram criados pela Associação Megafone, após o desaparecimento de João Aguardela (Sitiados, Linha da Frente, Megafone, A Naifa). O que se pretende é é distinguir anualmente músicos, com o “Prémio Megafone Música”, e outras entidades, pessoas ou organizações ligadas à música tradicional portuguesa, com o “Prémio Megafone Missão”, este ano entreque a Tiago Pereira.

O sexteto açoriano Bandarra e O Experimentar Na M’Incomoda, projecto de Pedro Lucas eram os restantes finalistas, sendo que este último recebeu ainda uma Menção Honrosa. Os três projectos nacionais nomeados actuaram na cerimónia, que contou também com a actuação dos Foge Foge Bandido, projecto de Manel Cruz (Ornatos Violeta) e apresentação de Jel.

Para marcar a primeira edição dos Prémios Megafone/João Aguardela serão editados os quatro álbuns que Aguardela gravou com a banda com o mesmo nome. A “Obra Completa - Megafone I a Megafone IV” terá uma edição limitada de 500 exemplares.


SC

  • Música